Imprimir esta página
Grátis: Agreste Malvarosa, de Newton Moreno, estreia na Zona Oeste (Julio Appel)
19
Abril

Grátis: Agreste Malvarosa, de Newton Moreno, estreia na Zona Oeste

  Ana Andréa
PUBLICIDADE

Sucesso de público e crítica, “Agreste Malvarosa”, espetáculo do premiado autor Newton Moreno, sobre a ignorância, o preconceito e o amor incondicional, será apresentado no mês de maio em circulação pelas Lonas Culturais Municipais e Arenas Cariocas, com ingressos gratuitos.

Com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e da Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Programa de Fomento “Viva a Arte!” 2015, o espetáculo “Agreste Malvorosa”, texto de Newton Moreno com direção de Ana Teixeira e Stephane Brodt, será apresentado de 3 a 29 de maio, com ingressos gratuitos, em circulação pelas Lonas Culturais Municipais e Arenas Cariocas. Todas as apresentações terão intérprete de Libras e após cada sessão haverá bate-papo entre elenco e público.

A história “Agreste Malvorosa” começa com um flerte junto a cerca, no qual um casal de lavradores descobre o amor. Ela do lado de cá, ele do lado de lá da cerca. Apesar de perceberem que há “algo no amor deles que não deveria acontecer”, um dia, o casal de lavradores foge, rompe a cerca para viverem juntos num casebre sertão adentro. Pressentem que algo de perigoso paira sobre eles. Depois de 22 anos de casados, a esposa compreende o porquê, ao perder subitamente o marido. Durante o velório, as velhinhas carpideiras, ao prepararem o morto, descobrem que o “marido” é uma mulher. Após esta reviravolta, sucedem-se levantes de repulsa e homofobia. Machucada pela perda, sem entender a dimensão de seus atos, a esposa acaba sendo vítima do horror e da intolerância do povo.  Essa poderia ser mais uma história de amor, não obstante a crueldade despertada pela descoberta reveladora.

– É uma história que acontece numa cidade do interior, são um homem e uma mulher que descobrem e vivem o amor incondicional. Simples assim. Só que eles se apavoram porque desde o princípio sentem que um perigo paira pelo ar. E tem todo aquele jogo de aproximação: o jeito de chegar é manso, tímido, as coisas demoram para acontecer, tudo leva tempo – comenta Newton Moreno.

“Agreste Malvarosa” é um vigoroso manifesto poético. Uma fábula sobre a ignorância, o preconceito e o amor incondicional. Um ensaio sobre o corpo, a palavra e os sentimentos humanos, despertando a emoção da surpresa. Em cena, as atrizes Millene Ramalho e Rosana Barros narram e representam as 7 personagens desta história, montando e desmontando a cena com o mesmo domínio que assumem a passagem narrador-personagem, personagem-narrador.

O trabalho das duas atrizes é o elemento que cria a ação, o centro vivo da cena, uma realidade móvel, plástica e tridimensional, explorando a totalidade de suas possibilidades expressivas. Recebem o público, criam a ambiência do espetáculo, introduzem o sertão assim como fazem os repentistas. Essa aproximação com o público tem a intenção de recriar a atmosfera da “contação” de história, reavivando memórias arcaicas, quando grupos se reuniam ao redor da fogueira ou embaixo de uma árvore para ouvir “causos”. A música, tocada ao vivo por Beto Lemos, que compôs a trilha, tende a ser um elemento revelador da cultura local com o propósito de livrar o espectador das tensões subterrâneas das cidades, proporcionando ainda a ideia de um lugar de sonho e conferindo ao corpo uma nova possibilidade de viver, livre dos códigos sociais.

“Agreste Malvarosa” estreou em janeiro de 2010, no Rio de Janeiro. Em 2011 participou dos festivais internacionais de artes cênicas: 18º Porto Alegre em Cena e 13° Caxias em Cena. Em 2012 e 2013, esteve em circulação por Curitiba, pelo Estado do Rio de Janeiro e pelo interior de São Paulo.

Sobre a encenação

Diretores do consagrado Amok Teatro, Ana Teixeira e Stephane Brodt foram convidados pela atriz Millene Ramalho para assumir a batuta deste trabalho. “Acostumados nos últimos anos a viagens em continentes mais distantes, nos deparamos desta vez com o interior do nordeste do Brasil. Mas num primeiro momento, não nos preocupamos com o sertão do mundo real. Nossa primeira viagem foi ao país interior desses personagens carregados de humanidade. Com eles, avançamos como exploradores de terras desconhecidas e pouco a pouco, fomos nos aproximando do sertão brasileiro, da literatura de cordel, do sol, da fé e da música nordestina que tanto traduz a devoção e a memória de seu povo.” – comenta a diretora Ana Teixeira. “Foi um percurso com muitos desafios, um encontro verdadeiro, uma travessia que fizemos juntos pelo Agreste. Chegamos modificados.” – conclui o diretor francês Stephane Brodt.

Sobre a dramaturgia

Newton Moreno, premiado autor de “As Centenárias”, construiu o texto da peça “Agreste Malvarosa” partindo de sua pesquisa sobre orientação sexual com mulheres camponesas/lavradoras no interior de Pernambuco. Mulheres que desconheciam seu corpo, sua sexualidade e o silogismo tortuoso de sua feminilidade. O texto nasce numa encruzilhada que confronta o imaginário nordestino e o discurso limítrofe das sexualidades contemporâneas. Recorre a um dos elementos do imaginário sertanejo – a figura da mulher que se finge/traveste de homem. Aborda a reflexão sobre até onde essas mulheres tinham consciência de seus corpos, de suas cascas e de sua transgressão. Até onde pode chegar o grau de desinformação do povo no interior deste país. “Agreste Malvarosa” justapõe uma pesquisa de temáticas contemporâneas à supressão do outro (homofobia) e a redefinição de papéis e identidades sexuais ao abandono do povo nordestino e ao discurso contemporâneo da frágil linha limítrofe da sexualidade.

Ficha técnica

Texto: Newton Moreno
Direção: Ana Teixeira e Stephane Brodt
Elenco: Millene Ramalho e Rosana Barros
Música original: Beto Lemos / Interpretação ao vivo de Beto Lemos em alternância com Roberto Kauffmann
Cenografia e figurino: Stephane Brodt
Iluminação: Renato Machado
Operação de luz: Neck Vilanova
Programador visual: Alexandre de Castro
Fotos de divulgação: Julio Appel
Assessoria de imprensa: Ney Motta e Ana Andréa | contemporânea comunicação
Produção: Erick Ferraz
Assistência de produção: Antonio Marques
Idealização: Millene Ramalho
Patrocínio: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Programa de Fomento “Viva a Arte!” 2015

Sinopse

Em uma cidade do interior, um casal vive o amor incondicional. A peça é uma fábula sobre a ignorância e o preconceito; um ensaio sobre o corpo, a palavra e os sentimentos humanos.

Serviço

Peça: Agreste Malvarosa
Texto: Newton Moreno
Direção: Ana Teixeira e Stephane Brodt
Elenco: Millene Ramalho e Rosana Barros
Música original: Beto Lemos / Interpretação ao vivo de Beto Lemos em alternância com Roberto Kauffmann
Ingressos GRÁTIS
Duração: 60 minutos
Classificação: 12 anos
Roteiro completo com todas as apresentações: www.facebook.com/agrestemalvarosa

Dias e locais das apresentações:

Pedra de Guaratiba
03 de maio, terça-feira, às 19h
Arena Carioca Abelardo Barbosa - Chacrinha
Rua Soldado Elizeu Hipólito s/nº, esquina com Av. Litorânea
Tel. 3404-7980

Campo Grande
04 de maio, quarta-feira, às 19:30h
Lona Cultural Municipal Elza Osborne
Estrada Rio do A, 220
Tel. 2413-2255

Santa Cruz
10 de maio, terça-feira, às 19h
Lona Cultural Municipal Sandra de Sá
Rua 12, quadra 219, Guandu 1
Tel. 3395-1630

Realengo
18 de maio, quarta-feira, às 15h
Lona Cultural Municipal Gilberto Gil
Avenida Marechal Fontenelle, 5000, Realengo
Tels. 3462-0774 e 3333-2889

PUBLICIDADE

1 Comentário